Projetos
 
Oeste Digital 3.0
 



Designação do Projeto
I Oeste Digital 3.0

Código do projeto I CENTRO-08-0550-FEDER-000013

Objetivos I Salientam-se os seguintes objetivos específicos em cada uma das tipologias de investimento:

1. Serviços online e desmaterialização de processos - reorganizar e simplificar procedimentos para melhorar a prestação de serviços; implementar serviços online desmaterializados e integrados nos sistemas existentes;
2. Serviços georreferenciados - Aumentar a eficiência interna na gestão de informação e consulta de dados no terreno; melhorar a fiabilidade da informação e controlo do tempo de resposta às ocorrências; identificar ocorrências e infrações através da consulta e reporte de informação em tempo real.
3. Acesso wifi público - Garantir uma taxa de penetração adequada dos serviços online; fomentar a utilização dos canais digitais para interagir com a AP.
4. Gestão de Backups - Proteção e recuperação eficiente da informação;
5. Rede de comunicações - Aumentar taxas de resposta aos serviços digitalizados e consequente carga da rede.
6. Centro de dados - Assegurar infraestruturas necessárias para implementar as iniciativas da Operação;
7. Virtualização - Libertar recursos e reduzir os consumos energéticos;
8. Gestão de contratos de transportes - Assegurar a recolha e tratamento de informação para uma gestão adequada dos contratos de concessão; recolher informação sobre o serviço público de transportes para disponibilizar ao cidadão; centralizar a gestão deste serviço na Comunidade Intermunicipal.
9. Central de compras - Aumentar o número de Acordos Quadro existentes; esclarecer os municípios e fomentar a utilização da Central de Compras da OesteCIM; implementar uma solução de negociação dinâmica.
10. Plataforma de Gestão da formação - Desmaterializar os procedimentos internos associados à gestão das formações.

Região de Intervenção I Região Oeste

Entidade Beneficiária I OesteCIM e os seus 12 Municípios membros: Alcobaça, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Nazaré, Peniche, Óbidos, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras.

Data da aprovação I 14/06/2017


Data de início I 01/09/2016


Data de conclusão I 31/08/2018


Custo total elegível I 3.805.515,37€


Apoio financeiro da União Europeia I FEDER – 3.234
.688,06€

Apoio financeiro público nacional/regional I não aplicável

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

A operação Oeste Digital 3.0será executada pela Comunidade Intermunicipal do Oeste, enquanto beneficiário líder , em co promoção com os seus 12 Municípios membros: Alcobaça, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Nazaré, Peniche, Óbidos, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras.
Pretende-se, através desta operação contribuir para uma melhoria dos serviços online prestados ao cidadão, contribuindo para a modernização da Administração Pública através da melhoria do acesso às TIC bem como da sua utilização e qualidade, reduzindo os custos de contexto, através do reforço da disponibilidade e fomento da utilização de serviços em rede da Administração Pública e, consequentemente melhorar a sua eficiência.
Nesse sentido, o projeto irá ser desenvolvido em quatro áreas, com objetivos e atividades específicas, designadamente:
1. Prestação de serviços com o investimento em soluções para disponibilização de serviços online aos cidadãos.
2. Melhoria da prestação de serviços:
      a) Serviços Georreferenciados, melhorando a interação entre município e empresas e facilitando a gestão interna das Câmaras Municipais.
      b) Desmaterialização de Processos: reorganização interna, simplificação e reengenharia de processos para prestação de serviços online integrados nos sistemas de informação já existentes.
      c) Acesso Wifi Público, potenciando significativamente a utilização dos serviços online através da disponibilização gratuita de acesso à internet.
3. Consolidação da infraestrutura de suporte à prestação dos serviços: à medida que o número de serviços disponibilizados online aumenta, verifica-se, como consequência, uma necessidade crescente de consolidar a infraestrutura de suporte existente.
      a) Gestão dos backups dos sistemas de informação que contêm dados relativos aos serviços online e melhoria nas comunicações de rede e nos centros de dados. 
      b) Virtualização de postos de trabalho permitirá uma gestão mais eficiente da infraestrutura, libertando recursos técnicos para a gestão da infraestrutura associada aos serviços online, para além das poupanças energéticas.
4. Partilha de serviços para libertação de recursos, permitindo as Câmaras Municipais se organizem de forma a direcionar os recursos existentes para a prestação de um serviço mais adequado aos cidadãos e empresas, designadamente através de uma melhoria nos seguintes serviços:
      a) Gestão de Contratos de Transportes: implementação de uma solução que permita monitorizar os contratos de concessão de transportes no âmbito do regime jurídico do serviço público de transporte de passageiros;
      b) Central de Compras, enquanto processo de evolução dos serviços prestados às Câmaras Municipais pela Central de Compras da OesteCIM;
      c) Gestão da Formação, com a implementação de uma solução para gestão de toda a informação associada às ações de formação realizadas pela OesteCIM e municípios.
 
Fotos, vídeos e outros suportes audiovisuais