Projetos
 
Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável da OesteCIM  (PAMUS)
 


Designação do Projeto
 I Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável da OesteCIM

Código do projeto I CENTRO-06-1406-FEDER-000004

Objetivo principal I O PAMUS da OesteCIM visa definir a estratégia global de mobilidade para a Região Oeste, e será desenvolvido em 4 fases, tal como definido no convite para apresentação de candidaturas, a saber: Fase I- Caracterização e Diagnóstico; Fase II-Identificação de Cenários, Objetivos e Definição da Estratégia; Fase III-Formulação e Avaliação de Propostas; e Fase IV-Programa de Ação do PAMUS NUT III. Será devidamente acompanhado, participado e monitorizado

Região de Intervenção I Região Oeste

Entidade Beneficiária I OesteCIM

Data da aprovação I 18-11-2015

Data de início I 01-09-2015

Data de conclusão I 30-06-2016

Custo total elegível I 79.500,00€

Apoio financeiro da União Europeia I FEDER – 69.957,50€

Apoio financeiro público nacional/regional I não aplicável

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos
O aviso de candidatura ao PAMUS elenca a estrutura, conteúdo, principais linhas de orientação e objetivos pelo qual se rege o PAMUS da OesteCIM:

i) A melhoria da eficiência e da eficácia do transporte de pessoas e bens: Equacionar a utilização de determinada tipologia de veículos de acordo com os trajetos que efetuam para promover + eficiência ao nível de custos e de desempenho ambiental;
ii) A promoção de uma harmoniosa transferência para modos de transporte + limpos e eficientes: Cruzar os pontos de interesse com os locais de recolha de passageiros e a necessidade de interfaces entre modos de transporte, garantindo que os cidadãos que vivem, trabalham ou visitam o Oeste se deslocam confortavelmente e de forma segura, assegurando melhores condições ambientais e de sustentabilidade; iii)A garantia de um sistema de acessibilidades e transporte + inclusivo: O PAMUS caracterizará os fatores que influenciam a mobilidade e a acessibilidade no território, pensando, gradualmente, em transferir a preocupação da mobilidade para a acessibilidade;
iv) A redução do impacte negativo do sistema de transportes sobre a saúde e a segurança dos cidadãos, em particular dos mais vulneráveis: Incentivar a criação de espaços prioritários, seguros e confortáveis, para circulação em modos suaves de deslocação, mas também promover o incremento da qualidade dos transportes públicos (TP) para possibilitar uma efetiva redução das deslocações em T. individual;
v) A redução da poluição atmosférica, do ruído, das emissões de gases com efeito de estufa e do consumo de energia: Conseguir que um maior número de pessoas utilize os TP e modos suaves, nomeadamente o andar a pé e de bicicleta, permitirá libertar o número de automóveis a circular na região Oeste

Fotos, vídeos e outros suportes audiovisuais
 
Mais informações
 
Fichas de Ação:
   Alcobaça
   Alenquer
   Bombarral
   Cadaval
   Lourinhã
   Nazaré
   Óbidos
   Peniche
   OesteCIM